19/05/2022 | 6:35

TV Guadiana

Alentejo em Direto

COVID-19: ANTÓNIO COSTA ANUNCIOU AS NOVAS MEDIDAS DE DESCONFINAMENTO

COVID-19: ANTÓNIO COSTA ANUNCIOU AS NOVAS MEDIDAS DE DESCONFINAMENTO

Após a realização do concelho de ministros realizado hoje, 5ª feira, 29 de abril, o primeiro-ministro António Costa deu a conhecer esta tarde as medidas e concelhos para a 4ª e última fase do desconfinamento prevista inicialmente para a próxima segunda-feira, dia 3 de maio.

O atual estado de emergência vivido ao longo dos últimos meses em Portugal, é agora substituído pelo estado de calamidade que entra em vigor, às 00:00 horas, do dia 1 de maio, o que permite um maior alívio da vida dos portugueses.

Segundo António Costa, estas novas medidas tomadas “com base na matriz de risco que nos tem guiado, verifica-se que em relação á taxa de incidência, o Pais manteve uma tendência positiva e em relação ao índice de transmissibilidade verifica-se que claramente continuamos controlados ao nível de um”.

Esta nova fase de desconfinamento a iniciar a 1 de maio,traduz-se na abertura das fronteiras terrestres com Espanha, relativamente às atividades económicas, os restaurantes, cafés, pastelarias e similares, poderão passar a funcionar, quer em esplanadas quer em regime de mesa no interior, até às 22.30 horas, durante a semana e fins-de-semana, as salas de espetáculo abertas diariamente até as 22.30, casamentos, batizados, comunhões e outros eventos familiares com lotação de 50 por cento, relativamente ao recinto onde se realizam”.

A normalização da atividade comercial vai permitir a abertura de todas as lojas dos centros comerciais, até às 21 horas, durante a semana, e até às 19 horas, nos fins-de-semana.

 Este novo regime, aplicar-se á generalidade do território do continente, a 270 dos 278 concelhos do continente. Rio Maior e Moura, depois de recuperar, vão avançar para a nova fase, assim como Alandroal, Albufeira, Figueira da Foz, Marinha Grande e Penela. Há ainda 27 concelhos em alerta, com taxa de incidência superior a 120.

Os concelhos de Miranda do Douro, Paredes e Valongo, vão-se manter retidos na situação atual depois de uma segunda avaliação negativa. Há por outro lado quatro concelhos que recuaram e vão manter-se no nível em que estão e são os concelhos de Aljezur, Resende, Carregal do Sal e Portimão.

Foi decidido ainda “decretar, em termos imediatos, uma cerca sanitária a duas das freguesias do concelho de Odemira (S. Teotónio e Longreira/Almograve) por terem um número elevado de casos, relacionado com a população emigrante que trabalha no sector agrícola, procedendo também a requisição de um conjunto de instalações já identificadas, permitindo o isolamento profilático das pessoas consideradas positivas e em risco e de alguma população que vive em situação de insalubridade habitacional inadmissível, com híper sobrelotação das habitações que pretendemos quebrar porque consideramos um risco para a saúde publica e uma violação gritante dos direitos humanos”.

António Costa referiu ainda que “o conselho de Ministros aprovou um diploma, que obriga as empresas beneficiárias do trabalho destas pessoas, a procederem ao registo diário desses trabalhadores de forma a poder sempre ter um rápido estabelecimento do contacto e caso de necessidade de isolamento e quebrar as cadeias de transmissão, responsabilizando as referidas empresas á realização de um teste diário dos trabalhadores”. As restantes freguesias deste concelho vão passar para a seguinte frase de desconfinamento.

António Cota terminou recordando que “nada está adquirido para o futuro, esta é uma luta diária que teremos de continuar a travar, porque tal como conseguimos chegar aqui, não podemos agora perder aquilo que conquistamos e ter de generalizar estas situações nas próximas semanas, desejando que possamos prosseguindo com cautela este processo de desconfinamento, enquanto vai crescendo o processo de vacinação”.

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
YouTube
Instagram