23/09/2021

TV Guadiana

Alentejo em Direto

ESTREMOZ ASSINOU CONTRATO DO PLANO ESTRATÉGICO DE DESENVOLVIMENTO URBANO

<div style="text-align: justify;"> <img alt="" src="images/Regional/Estremoz/Captura de ecrã 2016-06-02, às 21_52_45.png" style="width: 200px; height: 129px; float: left;" />Realizou-se no dia 31 de maio, em Santa Maria da Feira, a Sessão de Assinatura de Contratos dos PEDU - Planos Estratégicos de Desenvolvimento Urbano, que contou com a presença do senhor Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, e do senhor Ministro do Ambiente, João Pedro Matos.</div> <div style="text-align: justify;">  </div> <div style="text-align: justify;"> No caso concreto do PEDU do Município de Estremoz, representado na cerimónia pelo Vice-Presidente, Francisco Ramos, está em causa um investimento público no montante total previsto de 5.888.412€, cofinanciados a 85% por fundos comunitários do Alentejo 2020.</div> <div style="text-align: justify;">  </div> <div style="text-align: justify;"> O PEDU insere-se no âmbito do Regulamento do Plano Operacional de Sustentabilidade Energética e Uso dos Recursos (POSEUR) e tem um horizonte temporal de 2015 a 2020, sendo constituído por três linhas de ação: o PARU - Plano de Ação para a Regeneração Urbana, o PAMUS - Plano de Ação para a Mobilidade Urbana Sustentável e pelo PAICD - Plano de Ação para as Comunidades Desfavorecidas.</div>
 
No âmbito do PARU, estão previstas diversas ações de reabilitação de edifícios, públicos e privados, bem como intervenções em espaço público. Neste caso particular, saliente-se a possibilidade dos particulares e das instituições públicas e privadas poderem concorrer a um fundo de investimento, que será criado após a aprovação do PEDU, podendo assim efetuar obras de recuperação de edifícios, localizados nas áreas de reabilitação urbana (ARU) de Estremoz, Evoramonte e Veiros.
 
No âmbito do PAMUS serão realizados investimentos na área da mobilidade urbana sustentável, focados especialmente no desenvolvimento de soluções que fomentem a adoção de modos suaves de mobilidade (pedonal, bicicleta, veículos movidos a energia elétrica, etc.).
No caso do PAICD, a área de intervenção é o Bairro de Santiago, uma vez que o mesmo reúne os critérios exigidos pelo POSEUR para ser considerado como comunidade desfavorecida, estando previstas diversas ações de reabilitação urbana e revitalização social, ambiental e económica do bairro.
 
Fotografia: C.M.Estremoz.

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
YouTube
Instagram