22 de Julho 2024

TV Guadiana

Alentejo em Direto

MONSARAZ MUSEU ABERTO 2024: UMA VIAGEM PELA CULTURA E TRADIÇÃO

MONSARAZ MUSEU ABERTO 2024: UMA VIAGEM PELA CULTURA E TRADIÇÃO
Monsaraz Museu Aberto 2024: Um Tributo à Herança Cultural Portuguesa

A bienal Monsaraz Museu Aberto está de volta, de 14 a 21 de julho, para celebrar a cultura e o património da pitoresca vila medieval. Sob o mote “Eu sou devedor à terra”, inspirado no poema “Alentejo, Alentejo” de José Gato, o evento organizado pelo Município de Reguengos de Monsaraz promete uma semana repleta de atividades.

Monsaraz Museu Aberto, realizado desde 1986, procura sensibilizar para a importância da preservação do património natural e construído de Monsaraz. Através da cultura, pretende-se inspirar a proteção e a identidade deste sítio histórico único.

Programa diversificado celebra a arte em todas as suas formas

A inauguração do Monsaraz Museu Aberto acontece no dia 14 de julho, pelas 17h, no jardim da Casa da Universidade. O programa inclui concertos musicais com artistas como Dulce Pontes, Gonçalo Pescada e Melingo, bem como atuações de grupos locais, como a Banda da Sociedade Filarmónica Harmonia Reguenguense e o Grupo Coral da Freguesia de Monsaraz.

A dança também marca presença no Monsaraz Museu Aberto, com destaque para o espetáculo “Força da Natureza” pela Academia de Dança e Artes Performativas da Sociedade Artística Reguenguense e a performance de dança vertical da companhia Delrevés.

Palestras e conversas exploram a ligação à terra

Ao longo da semana, o Monsaraz Museu Aberto promove um ciclo de palestras e conversas que abordam temas como a agricultura, o despovoamento, a arquitetura integrada e a importância da preservação do património.

O programa conta com a participação de especialistas como o astrofísico Filipe Duarte Santos, o arqueólogo Manuel Calado e os historiadores José Pacheco Pereira e Ana Paula Amendoeira.

Exposições e workshops celebram a arte e o artesanato

Paralelamente à programação principal, o Monsaraz Museu Aberto acolhe exposições de pintura, desenho e cerâmica em diversos locais da vila. Os visitantes podem ainda participar em workshops de fabricação de papel artesanal, cerâmica e origami.

Em São Pedro do Corval, a Casa do Barro – Centro Interpretativo da Olaria acolhe workshops com estudantes universitários e palestras sobre design, enquanto a Sociedade União e Progresso Aldematense recebe a exposição “Design português através de uma pluralidade de objetos”.

Monsaraz Museu Aberto é uma oportunidade única para experienciar a riqueza cultural e patrimonial de Monsaraz.

14 de julho:

  • 17h00: Cerimónia de Inauguração (Jardim da Casa da Universidade)

  • 19h00: Palestra “A Terra, que futuro?” com Filipe Duarte Santos (Igreja de Santiago)

  • 22h00: Concerto com Dulce Pontes (Praça de Armas do Castelo)

15 de julho:

  • 17h00: Palestra “O Pecado Original: Agricultura intensiva do Neolítico aos nossos dias” com Manuel Calado (Igreja de Santiago)

  • 19h00: Concerto e oficina de Gastronomia Alentejana (Centro de Convívio da Barrada)

  • 22h00: Concerto com a Banda da Sociedade Filarmónica Harmonia Reguenguense (Praça de Armas do Castelo)

16 de julho:

  • 17h00: Conversa “O extensivo e o intensivo na paisagem do Alentejo. Transformações, valor e futuro” (Igreja de Santiago)

  • 19h00: Concerto com Lizete Morais (Casa das Avós, Motrinos)

  • 21h00: Atuação do Grupo de Dança Contemporânea Sénior da Freguesia de Monsaraz (Largo D. Nuno Álvares Pereira)

  • 22h00: Espetáculo de dança “Força da Natureza” (Largo D. Nuno Álvares Pereira)

17 de julho:

  • 17h00: Conversa “Alentejo – Agricultura, paisagem e despovoamento” com António Guerreiro e Alfredo Cunhal Sendim (Igreja de Santiago)

  • 18h00: Oficina do Pão (Largo D. Nuno Álvares Pereira)

  • 19h00: Percurso Ilustrado e concerto com Abraham Cupeiro, orquestra Eborae Música e Companhia de Dança Contemporânea de Évora (Partida: Porta da Vila; Chegada: Convento da Orada)

  • 22h00: Concerto minimal electronic com João Hasselberg (Moagem Sem-Fim, Telheiro)

18 de julho:

  • 17h00: Palestra “Da terra chão à terra pão” com Galopim de Carvalho (Igreja de Santiago)

  • 18h30: Percurso Ilustrado e concerto com o Coro Polifónico da Sociedade Filarmónica Harmonia Reguenguense, Sara Sotiry e Grupo Maurioneta (Partida: Monsaraz; Chegada: Ermida de Santa Catarina)

  • 21h00: Recital de Harpa com Angélica Salvi (Igreja de Santiago)

  • 22h00: Concerto com Gonçalo Pescada e Quinteto Sull’a Corda (Praça de Armas do Castelo)

19 de julho:

  • 10h30: Oficinas para crianças e adultos (Jardim da Casa da Universidade)

  • 17h00: Conversa “Terra chã para a agricultura, terra chão para a arquitetura integrada” (Igreja de Santiago)

  • 19h00: Oficina do Gaspacho e atuação do Ensemble de Clarinetes da Sociedade Filarmónica Harmonia Reguenguense (Centro de Convívio de Outeiro)

  • 21h00: Exibição da curta-metragem “A Tempestade” de Teresa Garcia (Centro de Convívio de Outeiro)

  • 21h30: Recital de Cravo com Cristiano Holtz (Igreja de Santiago)

20 de julho:

  • 10h30: Oficinas para crianças e adultos (Jardim da Casa da Universidade)

  • 17h00: Palestra “Terra e Território com Monsaraz ao fundo” com Jorge Gaspar (Igreja de Santiago)

  • 19h00: Caminhada com Monsaraz a Caminhar, Mestre Tavares e recital com Ustad Fazel Sapand (Partida: Monsaraz; Chegada: Casa do Cante, Telheiro)

  • 22h00: Espetáculo de dança vertical com a companhia Delrevés (Torre de Menagem do Castelo)

  • 23h00: Concerto com Melingo (Praça de Armas do Castelo)

21 de julho:

  • 10h30: Oficinas para crianças e adultos (Jardim da Casa da Universidade)

  • 11h00: Conversa “Eu Sou Devedor à Terra” com José Pacheco Pereira e Ana Paula Amendoeira

  • 17h00: Apresentação do Arquivo Digital do Cante (Igreja de Santiago)

  • 19h00: Recital de Piano com Tiago Mileu (Olival da Pega)

  • 21h00: Gala do Cante nas Terras do Grande Lago (Praça de Armas do Castelo)

Exposições:

  • Exposição coletiva de pintura, desenho e cerâmica (vários locais)

  • Exposição “Design português através de uma pluralidade de objetos” (Sociedade União e Progresso Aldematense, São Pedro do Corval)

Workshops:

  • Workshops de fabricação de papel artesanal, cerâmica e origami (Jardim da Casa da Universidade)

  • Workshops com alunos das universidades de Aveiro, Minho e Porto, do Lab2PT e ID+ (Casa do Barro – Centro Interpretativo da Olaria de São Pedro do Corval)



Skip to content